sábado, 19 de julho de 2008

Miragem - (pintura de Dad)
RASGAM-SE OS CÉUS E A TERRA
DESFALECE O PRANTO EM RIO
SOSSOBRAM LUAS
E AS ÁRVORES
EM PLENA PRIMAVERA FICAM NUAS

EM SOBRESSALTO OS PÁSSAROS
PERDEM O SABER DAS ASAS
O PREGÃO DO BICO
A PROTECÇÃO DAS PENAS

A TERNURA DO AZUL DESFAZ-SE
EM BRASA

AS CASAS TRANSFORMAM-SE EM LÍQUIDAS GRUTAS
ONDE JAZ
O ETERNO OLIMPO DOS PASTORES DE SONHOS
O AMOR E A PAZ

SAUDADES DE AMADOS LÁBIOS
SOBREVOAM AS ÁGUAS
À PROCURA DE CORPOS PRESSENTIDOS
NO FULGOR DAS MARGENS
(André Moa)

3 comentários:

V.P. disse...

Não percebo nada de arte, mas cá vai:

O quadro está muito lindo mesmo... Tenho uma palavra para ele diferente.. A cor vermelha dá lhe outro "ar"

A parte superior do quadro está mesmo 5*

RESSACA disse...

Aqui nasceu o Espaço que irá agitar as águas da Passividade Portuguesa...

António Manuel Conceição Santos disse...

Encantador!
Deslumbrante!
E Hilariante!
esta bela pintura em tela.
Uma autentica bolha.
Adeus Dad