terça-feira, 19 de agosto de 2008

Divagações poéticas da côr

Nas férias deste ano, reencontrei
os donos destes quadros-
este e o anterior- e foi bom
revê-los, a eles e às pinturas.
Por aqui se iniciaram
as minhas "divagações"...
Dad
********
********
POEMA DE ANDRÉ MOA
Entre a fúria do mar e a solidez da rocha
Um arco-íris de sonho desabrocha.

É uma vida – o futuro – a irromper do nada
Numa cabeça jovem toda alvoroçada.

É um coração sentido a divagar
A colorir terra, céu e mar.

Num abraço de cores sobressaltadas
Duendes e tritões soltam gargalhadas.

Devagar, devagar e sempre a divagar
Uma menina prendada pinta céu e mar.

À arte se entrega, à arte se dá
À procura do muito que ainda não há.

Com sensível mestria vai criando beleza
Para bem da humanidade e exaltação da natureza.

André Moa

5 comentários:

cedro-branco disse...

Estimulante, fresco, harmonioso!
Belíssima simbiose de cores Dad!

Linda

Célia Ribeiro disse...

Olá Dad
É sempre bom voltar a ver os nossos meninos, eles voam para vários locais, mas as saudades ficam e quando há um reencontro... então as coisas batem no coração.
Ando por aqui cheia de trabalho ainda sem férias, nem pinturas, nada.
Beijos

Brancamar disse...

Adorei a pintura, as cores, uma belíssima mistura de tons com muito bom gosto e os versos do André, maravilhosos. Que bom encontrá-lo por aqui.
Beijos

Vieira Calado disse...

Muito bela, essa sua pintura.

Gostei, sem reservas...

Bjs

NORBERTO MACEDO disse...

Querida Dad
Que beleza de pintura; é um dom divino poder se expressar brincando e trabalhando com as cores.E o nosso querido André Moa (meu primo),... Poxa! Que lindo poema!
Parabéns para essa dupla maravilhosa.

Beijos
Norberto Macedo